1 de Dezembro, 2021

Procurando as ” raízes” da vila de Ferreira do Zêzere

Perde-se nas brumas da memória a origem do topónimo da vila de Ferreira do Zêzere, porém consegui apurar os seguintes factos:

Pelo que se percebe, deve seu nome, primeiro a Pedro Ferreiro, um modesto besteiro que prestou serviços ao Rei D. Sancho I, destacando-se com actos de bravura e heroísmo na  defesa de Montemor-o-Novo, no Alentejo, recebendo assim uma herdade que El Rei teria junto com sua esposa, D. Dulce (Duce), que nestas bandas era denominada Vale de Orjais.

Pelo que diz o erudito Professor Doutor José Matoso, Pedro Ferreiro seria o exemplo como um homem de modesta condição, que ascenderia á categoria de nobre, o que raramente acontecia.

Pelo que se consta, é a partir daí, que Pedro Ferreiro se torna homem de condição e começam a aparecer referências documentadas (que abaixo poderá consultar), aumentando o seu património fundiário. Património esse proveniente, através de compras, certamente com os lucros derivados da doação real acima mencionada, ou mais doações do monarca ou pela Ordem dos Templários.

Pedro Ferreiro torna-se assim Terra Tenente.

* Terra Tenente designa-se, de forma genérica, aos senhores feudais, na Idade Média, responsáveis pelo governo ou administração de um vasto território. No séc. XV, este foi o primeiro título dos magistrados responsáveis a Coroa e superintender na administração de cada uma das comarcas de Portugal. Estes magistrados passariam a designar se ” Corregedores” ).

Foral de Ferreira do Zêzere

Regista-se o percurso de Terra Tenente de Pedro Ferreira:

1190 – Distingue se na defesa de Montemor-o-Novo, atacada e pilhada pelos mouros.

D. Sancho I e sua mulher D. Dulce (Duce) doam a Pedro Ferreiro a sua herdade de Vale de Orjais.

1199 – Concede carta de povoação e emprazamento aos povoadores, sobretudo besteiros, tendo criado uma povoação que tomou o nome de Carvalhal de Besteiros.

1202 – Compra a Martim Mendes uma herdade no sítio de Juncais (Tomar) por doze morabitino (moeda de ouro).

1213 – Compra a Martim Aiolas umas propriedades com vinhas, casas e pomares no sítio de Pias (Termo de Tomar) por trinta e cinco morabitino.

1220 – Os besteiros (Vale de Orjais) venderam o seu quinhão ao Senhorio. Confirmação por D. Afonso II, da doação feita por D. Sancho I e D. Dulce da ” herdade de Ordiales”.

Pedro Ferreiro e sua mulher Maria Vasques, doam aos Templários a sua herdade de Porto de Caindo, doada por D. Sancho I e sua mulher D. Dulce.

1221 – D. Pedro Alvito, Mestre da Ordem dos Templários, queixa-se que o lugar por ele doado a Paio Farpado na Asseiceira está despovoado, e, faz dele doação a Pedro Ferreiro.

1222 – Doação do Foral a Vila Ferreiro por Pedro Ferreiro e Maria Vasques (a sul do Carvalhal de Besteiros)

1225 – Doação por Pedro Ferreiro e Maria Vasques da herdade de Vale dos Jarcens aos Templários, com a condição de eles e seus descendentes serem protegidos pela Ordem’ in perpétuo’.

Testamento de Pedro Ferreiro, deixando em legado aos Templários as propriedades de Vila Verde.

1229 – Doação por Pedro Ferreiro e Maria Vasques das terras de Ceiceira (Asseiceira) á Ordem dos Templários.

 

1230 – Doação aos Templários da sua herdade de Vale de Orjais.

Brasão de Ferreira do Zêzere

O actual topónimo de Ferreira do Zêzere, seria já acrescentado no tempo da Monarquia liberal devido á antiga Vila Ferreiro se situar próximo do Rio Zêzere.

 

Discrição do Brasão de Armas de Ferreira do Zêzere:

Armas de prata, com uma faixa de negro, carregada de três espigas de trigo de ouro folheadas do mesmo. Em chefe, as cruzes do Templo e de Cristo de vermelho, e em contrachefe uma faixa ondulada de azul. Coroa mural de prata de quatro torres. Listel branco com os dizeres” Vila de Ferreira do Zêzere” em prata.

Bandeira Ferreira Zêzere

Bandeira:

Esquartelada de amarelo e de vermelho e borlas de ouro e de vermelho. Lance e haste douradas


(FOTO PRINCIPAL/DESTAQUE: Direitos Reservados á Mediotejo.pt)

Banner Lergratis
Partilhar:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •