2 de Dezembro, 2021

Diferenciar Óleos e Essências

Aroma Terapia
No mundo da aromaterapia há vários nomes e frasquinhos que nos deixam confusos na hora de comprar. A diferença entre essência e óleo essencial é uma delas. Uma das diferenças que nos saltam à vista é a diferença de preços, o que acaba por nos induzir numa compra que não é a melhor escolha, por vezes. E depois ainda vêem os absolutos para ficarmos a saber que afinal não percebemos nada disto.Vou tentar ajudar um bocadinho. ÓLEOS ESSENCIAIS versus ESSÊNCIAS Enquanto o óleo essencial é 100% natural e extraído de plantas, flores, frutos, resinas, cascas ou goma a partir da destilação ou prensagem a frio; a essência sintética é, na verdade, uma cópia do óleo essencial produzida em laboratório – o que a torna um produto artificial. E por não possuir os princípios activos dos óleos, as essências só perfumam o ambiente e não oferecem nenhum outro benefício terapêutico. Além disso, os óleos essenciais não possuem na sua fórmula óleos minerais ou substâncias como o parabeno e o propileno – que anulam o efeito terapêutico do produto. Utilizam corantes naturais e de qualidade orgânica, enquanto as essências sintéticas são produzidas com fixadores e corantes artificiais. Por último, importa ainda saber que o óleo essencial raramente causa reacções alérgicas, enquanto que as essências podem provocar mau estar pelo uso contínuo, como dores de cabeça e ânsia de vomito ou, quando utilizada topicamente, reacções alérgicas.

Da extracção do material vegetal, é produzido a solução Concreta, que por sua vez com o etanol é produzido a substância oleosa residual, resultando o Absoluto

ABSOLUTOS Usados em perfumaria e aromaterapia, os absolutos são similares aos óleos essenciais. Como estes, os absolutos são concentrados altamente aromáticos, compostos por substâncias oleosas extraídas de plantas, mas enquanto os óleos essenciais são produzidos por destilação, fervura ou prensagem, os absolutos são produzidos por extracção por solventes ou, mais tradicionalmente, pelo processo de captura de aromas conhecido por enfleurage. Na produção dos absolutos, o material vegetal é inicialmente sujeito a um processo de extracção utilizando como solvente um hidrocarboneto, em geral hexano, para produzir uma solução conhecida por um concreto. O concreto é por sua vez extraído com etanol. O extracto de etanol é arrefecido (por exemplo, a -15 °C) para solidificar as ceras presentes na solução e filtrado a frio para produzir um extracto líquido. Quando o etanol evapora, a substância oleosa residual é o absoluto. Tradicionalmente, o absoluto era obtido por enfleurage, processo durante o qual a pomada resultante do processo de absorção de aromas era extraído com etanol para produzir o absoluto. O uso dos absolutos resulta da constatação que algumas matérias-primas são muito delicadas ou muito inertes para destilar a vapor e só podem produzir o seu aroma por extracção com solvente. Exemplos destas matérias são o jasmim e a cera de abelha. Entre os absolutos mais utilizados estão os derivados da rosa, jasmim, Lotus azul, entre outros. Estes, regra geral, são ingredientes valiosos pela sua raridade e pela, reduzida rentabilidade da planta, ou seja, a grande quantidade de planta que é necessário usar para obter um frasquinho do seu óleo. Espero ter ajudado a compreender um pouco mais este maravilhoso universo da aromaterapia e óleos essenciais. Se tiverem mais questões ou dúvidas podem colocá-las nos comentários! Obrigado.
Partilhar:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •